Verdades sobre estudar medicina

Post 4

Você que vai cursar medicina precisa ficar sabendo de algumas verdades divertidas que fazem parte da vida dos acadêmicos do curso. Confira situações corriqueiras (e já vá se acostumando!) que acontecem na vida de quem é estudante de medicina.
– Sempre te perguntam, com aquela cara de assustada, se você já viu gente morta. Não importa em que semestre da faculdade de medicina você esteja, ninguém parece entender muito bem como funciona uma aula de anatomia.

– Os amigos dos seus pais e os pais dos seus amigos se referem a você como ‘aquele/a que estuda medicina’.

– “Esse meu neto!” Seus avós usam a sua carreira para se vangloriar na frente dos amigos deles.

5. A sua família e amigos veem em você um bom conselheiro e sempre pedem dicas quando percebem mudanças no corpo, na pele, e nos cabelos (apesar de você ainda esteja cursando o primeiro ano na faculdade).

– Você responde aos convites de amigos com um “desculpa, não posso, tenho que estudar”.

– Sempre tanta coisa para estudar que você não encontra tempo nem mesmo para ir ao médico.

– Se você vai viajar no fim de semana, dentro da sua mochila você sempre carrega mais livros do que roupas.

– E ao mesmo tempo espera ansioso o fim de semana para poder terminar de estudar aquilo que não conseguiu durante a semana.

– Você é mais acostumado com os nomes Moore, Harrison, Netter e Goic, do que com os nomes e sobrenomes dos seus colegas de classe.

– Você pode passar horas decifrando as seções de um sebo com o objetivo de achar um livro que custe menos do que o salário mínimo.

– É preciso mais de um minuto para responder a seguinte pergunta: “o curso de medicina é de quantos anos mesmo?”.

– Você acha que todos os seus amigos cursam faculdades mais fáceis que a sua.

– Você muita vezes se pega questionando com quantos anos estará casado e com filhos.

– Assistir um capítulo de Grey’s Anatomy nunca mais será como antes. Você não será mais surpreendido da mesma forma e vai dar risada do comportamento dos personagens.

– Você perceberá que não existem mais tantas coisas no mundo que possam te dar nojo.

– Conhecerás os quatro princípios da bioética.

– Se perguntarem qual é o tamanho das suas luvas, sabe exatamente o que responder.

– Escutou o seu próprio coração com seu novo estetoscópio, sentiu o próprio pulso e a mediu a própria pressão arterial.
– Comenta com seus colegas de classes sobre a qualidade das suturas e a perfeição de certos tipos de técnicas cirúrgicas, depois de passar a noite inteira assistindo um programa na TV onde mostravam algumas cirurgias.

– É capaz de sentir o cheiro de formol a quilômetros de distância.

– Entende o significado de siglas como HP, TQM, IVAS e ACT.

– Um estudante de medicina aprende desde cedo que deve tomar mais café do que água durante o dia.

– Estranha um dia que consegue saber quais foram as últimas notícias do Jornal Nacional, por exemplo.

– Você fica sabendo que uma guerra tinha começado logo depois que ela termina.

– Você tenta lembrar todos dias o motivo pelo qual você começou a estudar medicina, e se não o encontra, se consola pensando que mais cedo ou mais tarde você estará formado (rezando para que seja o mais cedo).

– Toda vez que você coloca as suas mãos numa caixa de remédios, você lê atentamente todas as composições e advertências.

Roteiro de organização de estudos para quem faz apenas cursinho

Uma rotina de estudos personalizada para o seu perfil é o primeiro passo para você ser bem-sucedido no vestibular; Baixe o roteiro e comece a se preparar

Este ano você vai prestar vestibular e resolveu passar o ano inteiro estudando em cursinho? No decorrer da sua preparação, focar apenas nos estudos é ótimo, mas também é necessária muita atenção para não se perder na rotina. Por isso, para alcançar um resultado satisfatório, o primeiro passo é saber se organizar. 

Para ajudar você nessa etapa inicial, o Guia do Estudante pediu às orientadoras educacionais Thaís Arantes Ribeiro, Thatianna Montagnoli e Andrea do Lago Souza, do Curso Poliedro Campinas, que montassem um roteiro de organização personalizado para quem faz curso pré-vestibular. O resultado foi um planejamento com 50 horas de estudos semanais. 

Segundo elas, é importante que, durante a preparação para o vestibular, você vá adquirindo o condicionamento necessário aos poucos e tome cuidado para não esgotar seu organismo. O ideal, para que consiga manter a rotina a longo prazo, é que aumente as horas de estudo gradualmente para se habituar.

Além disso, é preciso respeitar as horas de descanso. “Infelizmente a balança é desequilibrada: muito esforço e pouco descanso. Para conseguir um bom rendimento, discipline-se! Nas horas de estudo, esforce-se e nas horas de descanso permita-se relaxar da maneira que mais combina com você. E sem culpa nessas horas!”, aconselham.

Veja abaixo o roteiro de organização para quem faz apenas cursinho:

Baixe o roteiro de organização

O Guia do Estudante também preparou o roteiro para você imprimir, colar na parede ou no caderno e não se perder no seu dia a dia.

Acesse o roteiro para download (o arquivo pode ser impresso em folha A3 ou A4).

FONTE: Guia do Estudante
Roteiro de organização de estudos para quem faz apenas cursinho

 

Confira 9 dicas para organizar os estudos em ano de vestibular

Manter rotina, inclusive no final de semana, é essencial para quem quer ir bem nas provas

As aulas já começaram e com elas a preocupação com os estudos para o vestibular e o Enem. Como será que devo organizar a minha rotina? Quantas horas por dia preciso estudar? Posso folgar nos finais de semana? Dá para trabalhar e estudar ao mesmo tempo?

A primeira medida que o estudante deve fazer é montar um cronograma diário de estudos. Faça uma tabela dividindo a semana de segunda-feira a domingo e coloque os horários de aula, estudo e descanso.

Manter essa rotina de estudos é o ideal para conseguir bons resultados nos vestibulares. Além disso, também é fundamental descansar. O ideal é que o aluno estude até às 21h45 e esteja na cama às 22h, para que ele tenha um sono tranquilo, para acordar bem disposto e assistir as aulas com concentração.

Veja a seguir as principais dicas para manter a rotina e a disciplina dos estudos:

  • Aula dada é aula estudada

Se você faz cursinho de manhã, a dica é estudar sempre a aula que teve no dia. Após as aulas, é necessário que o estudante estude as matérias que teve. Não deixe nenhuma matéria para depois.

  • Estude até o começo da noite

Para quem vai no cursinho pela manhã, o melhor é começar a estudar às 15h e manter os estudos até às 19h. Depois disso, tire uma hora, de preferência antes da janta, para ler jornais e revistas.

  • Estude de segunda a sábado

O estudante que consegue manter uma rotina de estudos de segunda a sexta, deve aproveitar o sábado para revisar o conteúdo visto durante a semana. O domingo deve ser de descanso. Já para aqueles que trabalham e fazem cursinho a noite, ou vão à escola pela manhã e ao cursinho à tarde, deve aproveitar o final de semana para estudar a matéria que teve durante a semana no cursinho.

  • Não deixe de fazer redações

Tente escrever uma redação por semana.

  • Resolva provas de vestibulares antigos

A partir do segundo semestre, o estudante pode, uma vez por semana, resolver, destinar até duas horas por dia para fazer questões de vestibulares passados. Confira as questões de diversos vestibulares no link a seguir: Pré-Vestibular Piracicaba

  • Revise o conteúdo perto dos vestibulares

A revisão para o vestibular deve ser feita de 3 a 4 semanas antes das primeiras fases das provas. A revisão para a segunda etapa deve ser feita assim que o candidato souber do resultado da primeira etapa do processo seletivo que está participando.

  • Simulados o dia da prova

O ideal é que o vestibulando faça um simulado por mês. Além de medir o seu conhecimento e saber as principais dúvidas, com o simulado o estudante também treina a situação de prova.

  • O ato de estudar é solitário

O estudante precisa de um lugar calmo para estudar, sem interferências externas. Muitas vezes ficar em casa pode atrapalhar, por isso é recomendável que o estudante fique no cursinho para garantir a concentração.

  • Mantenha uma atividade física regular

É importante que o vestibulando separe uma hora do seu dia, de duas a três vezes por semana, para exercícios físicos. Aconselhamos que o estudante mantenha a cabeça voltada 100% para os estudos. Deixe de fazer algumas atividades extras, como ballet ou música. Só mantenha, regularmente, uma atividade física.

 

 

Celular na aula: Pode ou não pode?

Pode tirar o celular da mochila! Foi-se o tempo em que o uso de tecnologias era o grande vilão das salas de aula. Hoje, os smartphones e tablets se tornaram grandes aliados no aprendizado. Isso porque com eles é possível absorver conhecimento de forma muito mais atrativa e didática, com simples toques na tela.

Apesar de representarem uma distração em potencial, existem muitos mecanismos que facilitam, aceleraram e inovam a forma de aprender. O coordenador de tecnologia educacional do Sistema de Ensino Poliedro, Oscar Strauss, explica que o uso de aplicativos e softwares contribui para que o estudante possa, por exemplo, gerenciar tarefas em grupos, aprender por games pedagógicos, resolver exercícios, entre outras atividades.

Na rede, diversos aplicativos têm como missão ensinar. É mais uma ferramenta para poder fisgar a atenção dos alunos. Diferentemente de uma aula convencional, em que apenas o professor é o principal emissor da mensagem, com o uso de tecnologias o estudante se torna ativo, tendo ele mesmo que buscar novos conhecimentos.

Mas, para abandonar a lousa e o giz é preciso estabelecer regras de uso dos aparelhos. Devem estar bem definidos entre escola, professores e alunos os momentos em que o uso dos celulares e tabletes são produtivos para o aprendizado.

Gostou da ideia? Separamos uma lista de aplicativos para te ajudar a estudar dentro e fora de sala de aula:

Stellarium

Sol

O aplicativo simula a abóbada celeste em tempo real. Com ele é possível observar estrelas, constelações, planetas, aglomerados, nebulosas, entre outros corpos celestes.

Babbel

Idiomas (Foto:Shutterstock)

Há diversos cursos que são divididos em áreas temáticas e oferecem inúmeros exercícios de inglês: cursos para principiantes e intermediários, gramática, treino de verbos, trava-línguas, frases e muito mais.

Fórmulas Free

Lousa (Foto:Shutterstock)

Disponível em diversas línguas, fornece todas as fórmulas matemáticas básicas. Muito útil para todos os alunos na escola secundária ou universidade, assim como engenheiros que procurem fórmulas, fáceis ou complicadas.

Acentuando

letras  (Foto:Shutterstock)

Ele é formado por questões objetivas sobre cada tipo de acento da Língua Portuguesa: agudo, circunflexo e grave (crase).

Os presidentes do Brasil

Palácio do Planalto (Foto:Shutterstock)

Neste aplicativo você encontrará informações dos presidentes do Brasil, podendo avaliar seus conhecimentos através do quiz.

Fonte: www.a12.com

Aprenda as melhores dicas de memorização para não ter branco na hora da prova

Dicas de especialistas em pré-vestibular para medicina.

Às vezes, não importa o quanto você tenha estudado ou quão preparado você esteja, aquele branco horrível aparece na hora da prova, você fica nervoso e seu desempenho acaba prejudicado.

Por isso, separamos algumas dicas de memorização para que você não tenha esse problema!
Confira:

1 – Submeta o conteúdo às suas 3 memórias:

Todos nós possuímos 3 tipos de memória: a visual, a auditiva e a sinestésica. Caso você não saiba qual a sua melhor memória, estimule todas elas para ter bons resultados. Uma boa maneira é fazer esquemas e gráficos para estimular a visual, ler em voz alta ou ouvir gravações para a auditiva e fazer exercícios, dinâmicas e/ou explicar o conteúdo com as mãos para a sinestésica. Vale a pena investir tempo nessa estratégia, pois ela faz toda diferença na hora da sua prova!

2 – Leia o conteúdo pelo menos duas vezes:

Para o nosso cérebro, a primeira leitura é superficial e serve apenas para preparar a memória. A fixação do conteúdo começa apenas na segunda vez em que você lê algo. Por isso, nunca deixe de ler e reler o seu material didático e as suas anotações!

3 – A cada 1h de estudo faça uma “quebra de estado”:

Para obter os melhores resultados do seu cérebro, o ideal é que a cada 40 minutos, no máximo 1 hora, você faça uma “quebra de estado”. O que é isso? Basicamente, é deixar o que você está fazendo para fazer outra coisa, modificando o estado do seu cérebro de concentrado para descontraído. Se estiver estudando em casa, vale cantar e dançar uma música. Se for intervalo da aula, saia para beber uma água ou café ou levante-se da carteira para conversar com o colega de aula. Assim, seu cérebro irá assimilar melhor as coisas, pois uma atividade praticada ininterruptamente pode cansar o seu cérebro e fazer com que ele não assimile mais nada até a próxima “quebra de estado”.

4 – Estimule o seu cérebro:

Estimular o cérebro é fundamental para um bom desempenho da sua memória. Existem diversas maneiras de fazer isso. Uma delas é fazer palavras cruzadas. Outra, é tentar lembrar de números de telefone e datas de aniversários de amigos ou conhecidos sem precisar recorrer a agenda, ao celular ou as redes sociais. Essas rotinas podem ser incorporadas no seu dia-a-dia e vão estimular sua memória. Invista nessas técnicas!

Gostou das dicas? Procure colocar elas em prática nos seus estudos, pois elas farão toda diferença na hora da prova. Você irá ter uma memória melhor, o que lhe garantirá ainda mais tranquilidade para ter um bom desempenho. Invista nisso!

Ranking aponta que UFRJ, USP e Unicamp são as três melhores universidades do país

Avaliação, feita todos os anos pelo jornal “Folha de S.Paulo” se baseia em indicadores nacionais e internacionais

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ficou em primeiro lugar no Ranking Universitário Folha (RUF) 2016. A Universidade de São Paulo (USP) ficou em segundo lugar e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em terceiro.

Desde que o indicador foi criado e 2013, a USP sempre ocupou a primeira colocação. A universidade alega que perdeu o posto porque o indicador considera, na avaliação, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), realizado pelo Ministério da Educação e do qual a USP não participa.

O ranking, realizado anualmente, avalia 195  instituições de ensino superior brasileiras e analisa seu desempenho em cinco tipos de indicadores: ensino, mercado de trabalho, pesquisa, internacionalização e inovação.

Entre os indicadores, a pesquisa científica é o que tem maior peso na pontuação. Na sequência estão qualidade do ensino, mercado de trabalho, internacionalização e inovação.

Os dados são coletados de base de dados e de informações nacionais e internacionais, como Institue to Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais (Inep-MEC, Web of Science, SciELO, fundações de amparo à pesquisa estaduais, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi).

As dez universidades mais bem classificadas no RUF são:

1. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

2, Universidade de São Paulo (USP)

3. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

4. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

5. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

6. Universidade Estadual Paulista (Unesp)

7. Universidade Federal do Paraná (UFPR)

8. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

9, Universidade de Brasília (UnB)

10. Universidade Federal do Ceará (UFC)

 

Leia mais no site do RUF.

Impeachment e crise política do país devem inspirar questões do Enem

A crise política do Brasil está mexendo com a vida de todos nós. Por isso, é um dos temas que deve fazer parte das provas dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano.

Para compreender o que está acontecendo (e dar conta das provas), é preciso saber o que impeachment e estado de direito, conceitos explicados com detalhe no vídeo (abaixo).

No vídeo, os professores contam a história recente do país. Explicam que, antes de Dilma Rousseff, outro presidente da República sofreu um processo de impeachment: Fernando Collor de Mello, em 1992. Mas, enquanto Dilma foi afastada do cargo,  Collor renunciou antes do processo terminar.

Em 31 de agosto, o Senado aprovou o impeachment da presidente da República Dilma Rousseff (PT) . Ela foi condenada por crime responsabilidade fiscal – as chamadas “pedaladas fiscais” no Plano Safra e os decretos que geraram gastos sem autorização do Congresso Nacional.

O episódio mais recente da crise política do país foi a cassação do mandato do deputado e ex-presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sob acusação de ter mentido em seu depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras no ano passado.

5 dicas para se preparar nessa reta final

Confira dicas que irão te ajudar a enfrentar tranquilamente este período final que antecede as provas dos vestibulares

Encarar essa reta final para o vestibular é bem complicado para alguns, pois querendo ou não os nervos, como dizem por aí: estão à flor da pele! Administrar o seu ritmo de estudos, ter momentos de lazer, uma boa qualidade de sono, uma alimentação balanceada e otimismo podem ajudar você a enfrentar essa fase.

1- Ritmo de estudo

Cada vestibulando tem seu ritmo de estudo. Tem aqueles que preferem aumentar o ritmo até o dia da prova e aqueles que preferem ir diminuindo gradativamente. Nesse caso, você pode fazer seu próprio ritmo. Se sentir que ainda não sabe o necessário para certa matéria, foque mais um tempo de seus estudos nela, mas caso você já se sinta confiante pode ir diminuindo aos poucos. O que antes você gastava 5 horas para estudar, agora nesta reta final pode gastar 3. Lembrando que é sempre bom, na semana que antecede a prova, diminuir o ritmo para aproximadamente, uma 1 por dia.

2- Momentos de lazer

Uma vez diminuído o ritmo de estudos, é bom ocupar a cabeça com outros assuntos. Sair com amigos, ir ao cinema e praticar atividades físicas são uma boa pedida, mas sem exageros. Sair para beber e voltar de madrugada atrapalha seu sono e, consequentemente, sua concentração. Evite fazer atividades físicas pesadas, pois o risco de sofrer uma lesão é grande, opte por exercícios mais leves, como natação. Tente focar sua mente para o que você está fazendo no momento, ou seja, se você está no cinema, não pense nos estudos e vice versa. Os momentos de lazer controlam a ansiedade e te deixam mais tranquilo para realizar uma boa prova.

3- Qualidade do sono

Parece besteira escrever isso, mas um sono de qualidade é um dos fatores que podem fazer a diferença nesta fase que antecede as provas. Agitação, ansiedade e nervosismo são de fato os principais motivos que não deixam os vestibulandos terem um bom sono, consequentemente você vai ter baixo rendimento e desempenho nos estudos. Ah, vale escrever aqui uma curiosidade sobre o sono: Você já ouviu falar que enquanto nós dormimos o nosso cérebro contínua trabalhando, ou seja, tudo que fizemos durante o dia, é repassado para serem guardadas e se por caso a noite não for bem dormida, essas informações novas podem não ser armazenadas.

4- Mantenha uma boa alimentação

Uma das coisas que a maioria dos vestibulandos não se importam infelizmente é com o fato de se alimentar bem. É realidade que grande parte dos jovens preferem os famosos “Junk food” do que um prato de comida saudável, como o famoso, arroz, bife e uma salada, não é verdade? Não digo para você mudar radicalmente de hábito alimentar e sim fica só um alerta para você lembrar que a tensão pré-vestibular combinada com frituras e comidas que são considerdas pesadas, podem causar problemas estomacais. Nem preciso dizer que seria desagradável ter uma gastrite, não é verdade? Então modere sua alimentação.

5- Otimismo

Você estudou tudo o que podia para se dar bem no vestibular, mas nada disso vai adiantar se o otimismo não estiver em dia. Engano de quem pensa que ter pensamentos positivos é superstição. Otimismo durante a preparação e durante a prova é essencial para realizá-la de forma mais tranquila e concentrada, uma vez que você estará certo do que está respondendo. Seu pensamento nesta reta final deve ser apenas um: “Eu consigo!”.

10 DICAS PARA VOCÊ SE DAR BEM NO VESTIBULAR

– Começar a prova pelas matérias que você sabe.

– Desenvolver um esquema de estudo que tenha a ver com você, lendo, fazendo resumos, resolvendo exercícios, assim se consegue ter uma alta qualidade de estudo.

– Uma prova bem feira exige, além de conhecimento, um bom preparo psicológico, para não ficar nervoso na hora da prova e acabar tendo o temido “branco”.

– Reproduzir a matéria com as próprias palavras é uma boa forma de fixar e aprender.

– Não faltar em nenhuma aula e sempre fazer os exercícios propostos.

– Conseguir ter uma leitura crítica.

– Aproveitar todas as fontes de informação que nos cercam, como jornais, revistas e blogs, e sempre se manter atualizado.

– Entender que o vestibular não é o fim do mundo e que ele é igual para todos.

– Saber que pode mudar de curso é fundamental para não encarar o vestibular como um bicho de sete cabeças.

– Ter em mente que alguma educação é melhor que nenhuma: sempre tenha um plano B.

USP e Unicamp lideram ranking de universidades latino-americanas

Entre 300 instituições incluídas no levantamento da consultoria QS, 76 são brasileiras

Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ocupam, respectivamente, a primeira e a segunda posições no ranking 2016 de universidades latino-americanas da consultoria internacional Quacquarelli Symonds (QS). Assim, a USP se mantém no topo da lista, onde já aparecia no ano passado, e a Unicamp ultrapassa a PUC do Chile, que está em terceiro lugar.

O ranking QS leva em conta sete critérios, com diferentes pesos no resultado final da avaliação: reputação acadêmica (30%) e reputação no mercado de trabalho (20%), ambas avaliadas por meio de pesquisas de opinião; razão professor/aluno (10%), número de citações por artigo publicado (10%), número de artigos por professor (10%), taxa de professores com doutorado (10%) e impacto on-line da universidade (10%), avaliado segundo o ranking Webometrics.

Além da USP e da Unicamp, entre as 10 primeiras colocadas há mais duas instituições brasileiras: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na quinta colocação, e a Universidade de Brasília (UnB), na nona. Chile, México e Colômbia têm duas instituições cada entre as 10 melhores.

Fonte: EPTV